Eventos SEJA‎ > ‎

O LIVRO DOS ESPÍRITOS: um clássico da literatura espiritualista

postado em 6 de abr de 2016 15:03 por Webmaster SEJA   [ 6 de abr de 2016 15:17 atualizado‎(s)‎ ]
A humanidade na sequência dos séculos consagrou vários livros como clássicos: Odisseia de Homero, A Bíblia, Os miseráveis de Victor Hugo, etc. Mas, nos perguntamos: por que considerar obras como essas clássicas e outras comuns? O pensador Italo Calvino abre seu texto Por que ler os clássicos comentando 14 ideias que tentam definir o que é uma obra clássica. A primeira delas diz: Os clássicos são aqueles livros dos quais, em geral, se ouve dizer: “Estou relendo...” e nunca “Estou lendo...”

Seria O Livro dos Espíritos um clássico? Quanto ao critério exposto e aos demais arrolados pelo citado autor italiano, diríamos, com certeza, que sim! Não é um livro de leitura de um fôlego só, descartável como certos romances policiais que “numa viagem se compra numa estação e na outra se descarta”.

O Livro dos Espíritos não é um livro de leitura única e nem somente para releituras: é um texto de estudo, para consultas permanentes, posto que se constitui na base das demais obras da Codificação kardequiana e inaugura uma nova era na tradi- ção espiritualista da Terra.

Lançado pelo seu autor Allan Kardec em 18 de abril de 1857, no Palais Royal, em Paris, em princípio com 501 questões, passou a figurar a partir da segunda edição definitiva (revista e ampliada) de 1860 com as 1.018 tal como o conhecemos nos dias atuais.

Obra essencial para quem deseja conhecer a fundo a Doutrina Espírita ou fazer-se dela adepto pela vivência plena de seus ensinamentos, O Livro dos Espíritos constitui-se, sim, no grande clássico que renova mentes e consciências na construção de um mundo melhor.

*Oscar de Lira é expositor espírita nacional. Membro da Sociedade Espírita Joanna de Ângelis - SEJA. É Pedagogo, mestre em Filosofia e doutor em Letras Clássicas/Língua Grega.
Comments