Diversos


Mensagem de Bezerra de Menezes

postado em 29 de ago de 2016 11:03 por Webmaster SEJA

"Vós tendes ouvido, nestes dias em que aqui estivésseis, a mensagem profunda da imortalidade da alma. Vós participastes deste banquete de luz e vos iluminastes com a evocação da mensagem imorredoura de Jesus, esculpida em vossos corações. Não postergueis o momento grandioso do serviço com o qual estais comprometidos. Jesus vive no âmago do nosso ser e espera que Lhe sejamos fiéis. Não é a primeira vez que firmamos um compromisso de servi-Lo e fracassamos terrivelmente, olvidando-nos da Sua mensagem de fraternidade, para que o ego destruidor levasse-nos aos descalabros morais. Não é a primeira vez que Ele falou à acústica das nossas almas e, nada obstante, fascinados pela sua ternura, descemos ao abismo do prazer, enganoso e rápido, olvidando-nos de O servir. Novamente Ele volta através dos imortais que O estão precedendo como um exército ou como se as estrelas dos céus descessem à Terra para iluminar a grande noite e o Comandante do Amor viesse logo após. Espíritas, eis que vos foi dito "amai-vos", eis que vos é repetido "instruí-vos". Porém, acima de tudo, que vos dediqueis a servir. Jesus espera por nós. Da mesma forma que temos necessidade Dele, Ele necessita de que a nossa voz O leve àqueles que são ocos à verdade ou são paralíticos à ação do bem. Não mais amanhã, hoje! Agora é o momento certo de ajudar. Levantai-vos do estado de marasmo e plantai a cruz do gólgota, deixando-vos abraçá-la no testemunho do amor. Não mais o circo, com as suas paredes defensivas. Agora é a humanidade! Não mais as feras esfaimadas, são as vossas paixões que vos excruciam e que a todos nós atormentam. Sublimemos, juntos, os nossos sentimentos, para podermos corresponder-Lhe à expectativa de amor. Ide de retorno aos vossos lares e aplicai o bálsamo consolador da verdade que hora possuís e, se não puderdes fazer muito, fazei o que podeis, porque aquele que faz o que pode, faz o máximo. Mas ninguém é tão destituído de amor que não pode sorrir, que não pode distender a mão trêmula ao combalido do chão, que não pode repetir a parábola do bom samaritano colocando o bálsamo na ferida aberta que os ladrões do nosso passado espiritual atiraram-nos no caminho entre Jerusalém e a baixa região. Ide e Jesus irá convosco; e agradecei a Ele, nosso zênite, nosso nadir, assumindo a honra de O amar e de O conhecer.

Do vosso servidor humílimo e paternal de sempre,

Bezerra de Menezes.

Muita paz meus filhos!"


(Mensagem recebida pela psicofonia do médium Divaldo Pereira Franco, no encerramento do congresso comemorativo de 30 anos da Associação Médico-Espírita de MG [http://www.amemg.com.br], no Hotel Dayrell, em Belo Horizonte, no dia 21/08/16)

Chico Xavier - Coleção Completa

postado em 12 de set de 2012 11:47 por Webmaster SEJA

Os 412 Livros psicografados por CHICO XAVIER (download gratuito).


Obras em ordem cronológica


TÍTULO

AUTOR

ANO

1

PARNASO DE ALÉM TÚMULO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1932

2

CARTAS DE UMA MORTA

MARIA JOÃO DE DEUS

1935

3

PALAVRAS DO INFINITO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1936

4

CRÔNICAS DE ALÉM-TÚMULO

HUMBERTO DE CAMPOS

1937

5

EMMANUEL

EMMANUEL

1938

6

BRASIL, CORAÇÃO DO MUNDO, PÁTRIA...

HUMBERTO DE CAMPOS

1938

7

LIRA IMORTAL

ESPÍRITOS DIVERSOS

1939

8

A CAMINHO DA LUZ

EMMANUEL

1939

9

NOVAS MENSAGENS

HUMBERTO DE CAMPOS

1940

10

HÁ DOIS MIL ANOS

EMMANUEL

1940

11

CINQUENTA ANOS DEPOIS

EMMANUEL

1940

12

CARTAS DO EVANGELHO

CASIMIRO CUNHA

1941

13

O CONSOLADOR

EMMANUEL

1941

14

BOA NOVA

HUMBERTO DE CAMPOS

1941

15

PAULO E ESTEVÃO

EMMANUEL

1942

16

RENÚNCIA

EMMANUEL

1943

17

REPORTAGENS DE ALÉM -TÚMULO

HUMBERTO DE CAMPOS

1943

18

CARTILHA DA NATUREZA

CASIMIRO CUNHA

1944

19

NOSSO LAR

ANDRÉ LUIZ

1944

20

OS MENSAGEIROS

ANDRÉ LUIZ

1944

21

MISSIONÁRIOS DA LUZ

ANDRÉ LUIZ

1945

22

COLETÂNEA DO ALÉM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1945

23

LÁZARO REDIVIVO

IRMÃO X

1945

24

OBREIROS DA VIDA ETERNA

ANDRÉ LUIZ

1946

25

O CAMINHO OCULTO

VENERANDA

1947

26

OS FILHOS DO GRANDE REI

VENERANDA

1947

27

MENSAGEM DO PEQUENO MORTO

NEIO LÚCIO

1947

28

HISTÓRIA DE MARICOTA

CASIMIRO CUNHA

1947

29

JARDIM DA INFÂNCIA

JOÃO DE DEUS

1947

30

VOLTA BOCAGE

MANUEL M. B BOCAGE

1947

31

NO MUNDO MAIOR

ANDRÉ LUIZ

1947

32

AGENDA CRISTÃ

ANDRÉ LUIZ

1948

33

LUZ ACIMA

IRMÃO X

1948

34

VOLTEI

IRMÃO JACOB

1949

35

ALVORADA CRISTÃ

NEIO LÚCIO

1949

36

CAMINHO, VERDADE E VIDA

EMMANUEL

1949

37

LIBERTAÇÃO

ANDRÉ LUIZ

1949

38

JESUS NO LAR

NEIO LÚCIO

1950

39

PÃO NOSSO

EMMANUEL

1950

40

NOSSO LIVRO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1950

41

PONTOS E CONTOS

IRMÃO X

1951

42

FALANDO À TERRA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1951

43

PÁGINAS DO CORAÇÃO

IRMÃ CANDOCA

1951

44

VINHA DE LUZ

EMMANUEL

1952

45

PÉROLAS DO ALÉM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1952

46

ROTEIRO

EMMANUEL

1952

47

PAI NOSSO

MEIMEI

1952

48

CARTAS DO CORAÇÃO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1952

49

GOTAS DE LUZ

CASIMIRO CUNHA

1953

50

AVE, CRISTO!

EMMANUEL

1953

51

ENTRE A TERRA E O CÉU

ANDRÉ LUIZ

1954

52

PALAVRAS DE EMMANUEL

EMMANUEL

1954

53

NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE

ANDRÉ LUIZ

1955

54

INSTRUÇÕES PSICOFÔNICAS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1956

55

FONTE VIVA

EMMANUEL

1956

56

AÇÃO E REAÇÃO

ANDRÉ LUIZ

1957

57

VOZES DO GRANDE ALÉM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1957

58

CONTOS E APÓLOGOS

IRMÃO X

1958

59

PENSAMENTO E VIDA

EMMANUEL

1958

60

EVOLUÇÃO EM DOIS MUNDOS

ANDRÉ LUIZ

1959

61

MECANISMOS DA MEDIUNIDADE

ANDRÉ LUIZ

1960

62

EVANGELHO EM CASA

MEIMEI

1960

63

RELIGIÃO DOS ESPÍRITOS

EMMANUEL

1960

64

A VIDA ESCREVE

HILÁRIO SILVA

1960

65

ALMAS EM DESFILE

HILÁRIO SILVA

1961

66

SEARA DOS MÉDIUNS

EMMANUEL

1961

67

JUCA LAMBISCA

CASIMIRO CUNHA

1961

68

O ESPÍRITO DA VERDADE

EMMANUEL

1962

69

JUSTIÇA DIVINA

EMMANUEL

1962

70

CARTILHA DO BEM

MEIMEI

1962

71

RELICÁRIO DE LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1962

72

TIMBOLÃO

CASIMIRO CUNHA

1962

73

ANTOLOGIA DOS IMORTAIS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1963

74

IDEAL ESPÍRITA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1963

75

LEIS DE AMOR

EMMANUEL

1963

76

OPINIÃO ESPÍRITA

EMMANUEL / ANDRÉ LUIZ

1963

77

SEXO E DESTINO

ANDRÉ LUIZ

1963

78

DESOBSESSÃO

ANDRÉ LUIZ

1964

79

CONTOS DESTA E DOUTRA VIDA

IRMÃO X

1964

80

LIVRO DA ESPERANÇA

EMMANUEL

1964

81

DICIONÁRIO DA ALMA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1964

82

TROVADORES DO ALÉM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1965

83

PALAVRAS DE VIDA ETERNA

EMMANUEL

1965

84

ESTUDE E VIVA

EMMANUEL / ANDRÉ LUIZ

1965

85

O ESPÍRITO DE CORNÉLIO PIRES

CORNÉLIO PIRES

1965

86

ENTRE IRMÃOS DE OUTRAS TERRAS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1966

87

CARTAS E CRÔNICAS

IRMÃO X

1966

88

ANTOLOGIA MEDIÚNICA DO NATAL

ESPÍRITOS DIVERSOS

1967

89

CAMINHO ESPÍRITA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1967

90

ENCONTRO MARCADO

EMMANUEL

1967

91

NO PORTAL DA LUZ

EMMANUEL

1967

92

TROVAS DO OUTRO MUNDO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1968

93

E A VIDA CONTINUA

ANDRÉ LUIZ

1968

94

LUZ NO LAR

ESPÍRITOS DIVERSOS

1968

95

À LUZ DA ORAÇÃO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1969

96

ORVALHO DE LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1969

97

PASSOS DA VIDA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1969

98

ESTANTE DA VIDA

IRMÃO X

1969

99

ALMA E CORAÇÃO

EMMANUEL

1969

100

POETAS REDIVIVOS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1969

101

IDÉIAS E ILUSTRAÇÕES

ESPÍRITOS DIVERSOS

1970

102

PAZ E RENOVAÇÃO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1970

103

VIDA E SEXO

EMMANUEL

1970

104

MAIS LUZ

BATUÍRA

1970

105

CORREIO FRATERNO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1970

106

TROVAS DO MAIS ALÉM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1971

107

BENÇÃO DE PAZ

EMMANUEL

1971

108

MÃE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1971

109

ANTOLOGIA DA ESPIRITUALIDADE

MARIA DOLORES

1971

110

RUMO CERTO

EMMANUEL

1971

111

PINGA FOGO – PRIMEIRA ENTREVISTA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1971

112

CORAGEM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1971

113

SINAL VERDE

ANDRÉ LUIZ

1971

114

ENTREVISTAS

EMMANUEL

1971

115

CHICO XAVIER – DOS HIPPIES AOS PROBLEMAS DO MUNDO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1972

116

ATRAVÉS DO TEMPO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1972

117

MÃOS UNIDAS

EMMANUEL

1972

118

TAÇA DE LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1972

119

CHICO XAVIER PEDE LICENÇA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1972

120

MÃOS MARCADAS

ESPIRITOS DIVERSOS

1972

121

NATAL DE SABINA

FRANCISCA CLOTILDE

1972

122

ESCRÍNIO DE LUZ

EMMANUEL

1973

123

SEGUE-ME

EMMANUEL

1973

124

ENCONTRO DE PAZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1973

125

NA ERA DO ESPÍRITO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1973

126

ROSAS COM AMOR

ESPÍRITOS DIVERSOS

1973

127

BEZERRA, CHICO E VOCÊ

BEZERRA DE MENEZES

1973

128

ASTRONAUTAS DO ALÉM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1973

129

ENTRE DUAS VIDAS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1973

130

RETRATOS DA VIDA

CORNÉLIO PIRES

1973

131

DIÁLOGO DOS VIVOS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1974

132

CALENDÁRIO ESPÍRITA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1974

133

INSTRUMENTOS DO TEMPO

EMMANUEL

1974

134

RESPOSTAS DA VIDA

ANDRÉ LUIZ

1974

135

JOVENS NO ALÉM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1974

136

CONVERSA FIRME

CORNÉLIO PIRES

1974

137

A TERRA E O SEMEADOR

EMMANUEL

1975

138

CHÃO DE FLORES

ESPÍRITOS DIVERSOS

1975

139

CAMINHOS DE VOLTA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1975

140

O ESPERANTO COMO REVELAÇÃO

FRANCISCO V. P. LORENZ

1975

141

BUSCA E ACHARÁS

EMMANUEL / ANDRÉ

1975

142

AMANHECE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1975

143

RECANTO DE PAZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1976

144

DEUS SEMPRE

EMMANUEL

1976

145

SOMOS SEIS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1976

146

TINTINO... O ESPETÁCULO CONTINUA

FRANCISCA CLOTILDE

1976

147

AUTA DE SOUZA

AUTA DE SOUZA

1976

148

CRIANÇAS DO ALÉM

MARCOS

1976

149

BAÚ DE CASOS

CORNÉLIO PIRES

1976

150

AMIZADE

MEIMEI

1976

151

COMPANHEIRO

EMMANUEL

1977

152

MARIA DOLORES

MARIA DOLORES

1977

153

MOMENTOS DE OURO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1977

154

AMOR E LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1977

155

COISAS DESTE MUNDO

CORNÉLIO PIRES

1977

156

CHICO XAVIER EM GOIÂNIA

EMMANUEL

1977

157

LUZ BENDITA

EMMANUEL / ESP. DIVERSOS

1977

158

AMOR SEM ADEUS

WALTER PERRONE

1978

159

RECADOS DO ALÉM

EMMANUEL

1978

160

ENXUGANDO LÁGRIMAS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1978

161

CORAÇÃO E VIDA

MARIA DOLORES

1978

162

CARIDADE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1978

163

ASSIM VENCERÁS

EMMANUEL

1978

164

FALOU E DISSE

AUGUSTO CEZAR NETTO

1978

165

SOMENTE AMOR

MARIA DOLORES / MEIMEI

1978

166

INSPIRAÇÃO

EMMANUEL

1978

167

TEMPO DE LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1979

168

ENCONTROS NO TEMPO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1979

169

MARCAS DO CAMINHO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1979

170

JANELA PARA A VIDA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1979

171

AMIGO

EMMANUEL

1979

172

CALMA

EMMANUEL

1979

173

CLARAMENTE VIVOS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1979

174

ANTOLOGIA DA CRIANÇA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1979

175

CEIFA DE LUZ

EMMANUEL

1979

176

SINAIS DE RUMO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1979

177

VIDA EM VIDA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1980

178

GAVETA DE ESPERANÇA

LAURINHO

1980

179

ALGO MAIS

EMMANUEL

1980

180

LIVRO DE RESPOSTAS

EMMANUEL

1980

181

URGÊNCIA

EMMANUEL

1980

182

IRMÃ VERA CRUZ

VERA CRUZ

1980

183

A VIDA CONTA

MARIA DOLORES

1980

184

MOMENTOS DE PAZ

EMMANUEL

1980

185

PRONTO SOCORRO

EMMANUEL

1980

186

DEUS AGUARDA

MEIMEI

1980

187

IRMÃO

EMMANUEL

1980

188

NOTÍCIAS DO ALÉM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1980

189

VIDA NO ALÉM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1980

190

FELIZ REGRESSO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1980

191

CAMINHOS

EMMANUEL

1981

192

AULAS DA VIDA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1981

193

AUGUSTO VIVE

AUGUSTO CEZAR NETTO

1981

194

VIAJORES DA LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1981

195

ELES VOLTARAM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1981

196

RUMOS DA VIDA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1981

197

FAMÍLIA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1981

198

INTERVALOS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1981

199

ATENÇÃO

EMMANUEL

1981

200

LINHA DUZENTOS

EMMANUEL

1981

201

PAZ E ALEGRIA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1981

202

VIVENDO SEMPRE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1981

203

SEARA DE FÉ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1981

204

NASCER E RENASCER

EMMANUEL

1981

205

QUEM SÃO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1981

206

MAIS VIDA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1981

207

REENCONTROS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1982

208

FILHOS VOLTANDO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1982

209

SENTINELAS DA ALMA

MEIMEI

1982

210

PALAVRAS DO CORAÇÃO

MEIMEI

1982

211

ADEUS SOLIDÃO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1982

212

PRAÇA DA AMIZADE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1982

213

GABRIEL

GABRIEL

1982

214

ENTES QUERIDOS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1982

215

LEALDADE

MAURÍCIO G. HENRIQUE

1982

216

SEGUINDO JUNTOS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1982

217

ENDEREÇOS DA PAZ

ANDRÉ LUIZ

1982

218

MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

EMMANUEL

1982

219

PRESENÇA DE LAURINHO

LAURINHO

1982

220

ESTAMOS NO ALÉM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1982

221

VENCERAM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1982

222

NINGUÉM MORRE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1983

223

PACIÊNCIA

EMMANUEL

1983

224

DIÁRIO DE BÊNÇÃOS

CRISTIANE

1983

225

ANTENAS DE LUZ

LAURINHO

226

RECADOS DA VIDA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1983

227

MENSAGENS QUE CONFORTAM

RICARDO TADEU

1983

228

MAIS PERTO

EMMANUEL

1983

229

CAMINHOS DO AMOR

MARIA DOLORES

1983

230

CORREIO DO ALÉM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1983

231

OS DOIS MAIORES AMORES

ESPÍRITOS DIVERSOS

1983

232

VIDA NOSSA VIDA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1983

233

PAZ

EMMANUEL

1983

234

ENTENDER CONVERSANDO

EMMANUEL

1983

235

TEMPO E AMOR

ESPÍRITOS DIVERSOS

1983

236

QUANDO SE PRETENDE FALAR DA VIDA

ROBERTO MUSZKAT

1983

237

HUMORISMO NO ALÉM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1983

238

TOCANDO O BARCO

EMMANUEL

1983

239

CONVIVÊNCIA

EMMANUEL

1983

240

SORRIR E PENSAR

ESPÍRITOS DIVERSOS

1983

241

CONFIA E SEGUE

EMMANUEL

1984

242

ALMA E VIDA

MARIA DOLORES

1984

243

RETORNARAM CONTANDO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1984

244

PRESENÇA DE LUZ

AUGUSTO CEZAR NETTO

1984

245

AGORA É O TEMPO

EMMANUEL

1984

246

HORAS DE LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1984

247

HOJE

EMMANUEL

1984

248

ESPÍRITOS DIVERSOS

1984

249

BASTÃO DE ARRIMO

ESPÍRITO WILLIAM

1984

250

NOVAMENTE EM CASA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1984

251

VIAJOR

EMMANUEL

1984

252

LOJA DE ALEGRIA

JAIR PRESENTE

1984

253

ESPERANÇA E VIDA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1984

254

ESPERA SERVINDO

EMMANUEL

1984

255

NESTE INSTANTE

EMMANUEL

1984

256

EDUCANDÁRIO DE LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1984

257

TÃO FÁCIL

ESPÍRITOS DIVERSOS

1984

258

AMOR E SAUDADE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1984

259

CARAVANA DE AMOR

ESPÍRITOS DIVERSOS

1984

260

JÓIA

EMMANUEL

1985

261

BAZAR DA VIDA

JAIR PRESENTE

1985

262

MONTE ACIMA

EMMANUEL

1985

263

VIAJARAM MAIS CEDO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1985

264

JUNTOS VENCEREMOS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1985

265

NÓS

EMMANUEL

1985

266

FESTA DE PAZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1985

267

DINHEIRO

EMMANUEL

1985

268

MEDIUNIDADE E SINTONIA

EMMANUEL

1985

269

LUZ E VIDA

EMMANUEL

1985

270

AGÊNCIA DE NOTÍCIAS

JAIR PRESENTE

1985

271

CRER E AGIR

EMMANUEL / IRMÃO JOSÉ

1985

272

ABRIGO

EMMANUEL

1985

273

O ESSENCIAL

EMMANUEL

1985

274

APELOS CRISTÃOS

BEZERRA DE MENEZES

1985

275

RECONFORTO

EMMANUEL

1986

276

PONTO DE ENCONTRO

JAIR PRESENTE

1986

277

APOSTILAS DA VIDA

ANDRÉ LUIZ

1986

278

CANAIS DA VIDA

EMMANUEL

1986

279

JESUS EM NÓS

EMMANUEL

1986

280

ESTRELAS NO CHÃO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1986

281

VOZES DA OUTRA MARGEM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1986

282

ESTRADAS E DESTINOS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1986

283

VISÃO NOVA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1986

284

RESGATE E AMOR

TIAMINHO

1986

285

VITÓRIA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1986

286

SEMENTES DE LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1986

287

INTERCÂMBIO DO BEM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1986

288

TENDE BOM ÂNIMO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1987

289

DOUTRINA E VIDA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1987

290

ESPERANÇA E ALEGRIA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1987

291

FONTE DE PAZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1987

292

TREVO DE IDÉIAS

EMMANUEL

1987

293

HORA CERTA

EMMANUEL

1987

294

AÇÃO E CAMINHO

EMMANUEL / ANDRÉ LUIZ

1987

295

PALAVRAS DA CORAGEM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1987

296

TEMAS DA VIDA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1987

297

BRILHE VOSSA LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1987

298

ESCULTORES DE ALMAS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1987

299

PLANTÃO DA PAZ

EMMANUEL

1987

300

VIDA ALÉM DA VIDA

LINEU DE PAULA LEÃO JR.

1987

301

LAR – OFICINA, ESPERANÇA E TRABALHO

DIVERSOS

1988

302

CURA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1988

303

PALCO ILUMINADO

JAIR PRSENTE

1988

304

COMANDOS DO AMOR

ESPÍRITOS DIVERSOS

1988

305

ROSEIRAL DE LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1988

306

RELATOS DA VIDA

IRMÃO X

1988

307

ALVORADA DO REINO

EMMANUEL

1988

308

PÁGINAS DE FÉ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1988

309

GRATIDÃO E PAZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1988

310

ASSEMBLÉIA DE LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1988

311

CORAÇÕES RENOVADOS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1988

312

CONSTRUÇÃO DO AMOR

EMMANUEL

1988

313

IRMÃOS UNIDOS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1988

314

ESCOLA NO ALÉM

CLÁUDIA P. GALASSE

1988

315

INDULGÊNCIA

EMMANUEL

1989

316

FOTOS DA VIDA

AUGUSTO CEZAR NETTO

1989

317

CONFIA E SERVE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1989

318

ACEITAÇÃO E VIDA

MARGARIDA SOARES

1989

319

DOUTRINA E APLICAÇÃO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1989

320

SERVIDORES NO ALÉM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1989

321

REFÚGIO

EMMANUEL

1989

322

HISTÓRIAS E ANOTAÇÕES

IRMÃO X

1989

323

FÉ, PAZ E AMOR

EMMANUEL

1989

324

SEMEADOR EM TEMPOS NOVOS

EMMANUEL

1989

325

RAPIDINHO

JAIR PRESENTE

1989

326

PORTO DE ALEGRIA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1990

327

SENTINELAS DA LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1990

328

PERANTE JESUS

EMMANUEL

1990

329

PÉTALAS DA PRIMAVERA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1990

330

DOUTRINA DE LUZ

EMMANUEL

1990

331

A SEMENTE DE MOSTARDA

EMMANUEL

1990

332

TRILHA DE LUZ

EMMANUEL

1990

333

ALMA E LUZ

EMMANUEL

1990

334

EXCURSÃO DE PAZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1990

335

HARMONIZAÇÃO

EMMANUEL

1990

336

VEREDA DE LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1990

337

MORADIAS DE LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1990

338

ANTE O FUTURO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1990

339

CONTINUIDADE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1990

340

DÁDIVAS DE AMOR

MARIA DOLORES

1990

341

A VERDADE RESPONDE

EMMANUEL / ANDRÉ LUIZ

1990

342

FULGOR NO ENTARDECER

ESPÍRITOS DIVERSOS

1991

343

AÇÃO, VIDA E LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1991

344

ASSUNTOS DA VIDA E DA MORTE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1991

345

CARMELO GRISI, ELE MESMO

CARMELO GRISI

1991

346

NOVO MUNDO

EMMANUEL

1991

347

LUZ NO CAMINHO

EMMANUEL

1991

348

PÉROLAS DE LUZ

EMMANUEL

1992

349

LEVANTAR E SEGUIR

EMMANUEL

1992

350

CENTELHAS

EMMANUEL

1992

351

ESTAMOS VIVOS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1992

352

TESOURO DE ALEGRIA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1993

353

SEMENTE

EMMANUEL

1993

354

MENTORES E SEAREIROS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1993

355

REVELAÇÃO

JAIR PRESENTE

1993

356

O LIGEIRINHO

EMMANUEL

1993

357

BÊNÇÃOS DE AMOR

ESPÍRITOS DIVERSOS

1993

358

TEMPO E NÓS

EMMANUEL / ANDRÉ LUIZ

1993

359

COMPAIXÃO

EMMANUEL

1993

360

GOTAS DE PAZ

EMMANUEL

1993

361

MIGALHA

EMMANUEL

1993

362

A VOLTA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1993

363

AS PALAVRAS CANTAM

CARLOS AUGUSTO

1993

364

ESPERANÇA E LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1993

365

PREITO DE AMOR

ESPÍRITOS DIVERSOS

1993

366

ABENÇOA SEMPRE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1993

367

PÁSSAROS HUMANOS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1994

368

VIVEREMOS SEMPRE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1994

369

DÁDIVAS ESPIRITUAIS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1994

370

UNIÃO EM JESUS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1994

371

MOMENTO

EMMANUEL

1994

372

VIDA E CAMINHO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1994

373

ANTOLOGIA DA PAZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1994

374

PINGO DE LUZ

CARLOS AUGUSTO

1995

375

RENASCIMENTO ESPIRITUAL

ESPÍRITOS DIVERSOS

1995

376

ANTOLOGIA DA CARIDADE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1995

377

NOTAS DO MAIS ALÉM

ESPÍRITOS DIVERSOS

1995

378

INDICAÇÕES DO CAMINHO

CARLOS AUGUSTO

1995

379

RECADOS DA VIDA MAIOR

ESPÍRITOS DIVERSOS

1995

380

PALAVRAS DE CHICO XAVIER

EMMANUEL

1995

381

ANOTAÇÕES DA MEDIUNIDADE

EMMANUEL

1995

382

PLANTÃO DE RESPOSTAS - PINGA FOGO II

ESPÍRITOS DIVERSOS

1995

383

ELENCO DE FAMILIARES

ESPÍRITOS DIVERSOS

1995

384

ANTOLOGIA DA JUVENTUDE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1995

385

ANTOLOGIA DA AMIZADE

EMMANUEL

1995

386

SÍNTESES DOUTRINÁRIAS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1995

387

ANTOLOGIA DA ESPERANÇA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1995

388

DOUTRINA - ESCOLA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1996

389

SAUDAÇÃO DO NATAL

ESPÍRITOS DIVERSOS

1996

390

PAZ E AMOR

CORNÉLIO PIRES

1996

391

ALMA DO POVO

CORNÉLIO PIRES

1996

392

PAZ E LIBERTAÇÃO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1996

393

NOVOS HORIZONTES

ESPÍRITOS DIVERSOS

1996

394

OFERTA DE AMIGO

CORNÉLIO PIRES

1996

395

DEGRAUS DA VIDA

CORNÉLIO PIRES

1996

396

ANTOLOGIA DO CAMINHO

ESPÍRITOS DIVERSOS

1997

397

TOQUES DA VIDA

CORNÉLIO PIRES

1997

398

TROVAS DO CORAÇÃO

CORNÉLIO PIRES

1997

399

SENDA PARA DEUS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1997

400

TRAÇOS DE CHICO XAVIER

ESPÍRITOS DIVERSOS

1997

401

PEDAÇOS DA VIDA

CORNÉLIO PIRES

1997

402

CAMINHOS DA FÉ

CORNÉLIO PIRES

1997

403

CAMINHOS DA VIDA

CORNÉLIO PIRES

1997

404

PÉTALAS DA VIDA

CORNÉLIO PIRES

1997

405

CAMINHO ILUMINADO

EMMANUEL

1998

406

AGENDA DE LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1998

407

ESCADA DE LUZ

ESPÍRITOS DIVERSOS

1999

408

CANTEIRO DE IDÉIAS

ESPÍRITOS DIVERSOS

1999

409

TROVAS DA VIDA

CORNÉLIO PIRES

1999

410

CIDADE NO ALÉM

ANDRÉ LUIZ - LUCIUS

1999

411

PERDÃO E VIDA

ESPÍRITOS DIVERSOS

1999

412

AMOR E VERDADE

ESPÍRITOS DIVERSOS

1999


Aos Pés do Cristo

postado em 9 de jul de 2012 17:42 por Webmaster SEJA   [ 9 de jul de 2012 19:38 atualizado‎(s)‎ ]

Por Denise Lino


    Há nos quatro Evangelhos (Mateus 26: 6-13, Marcos 14: 3-9, Lucas 7: 36-50 e João 12:1 a 8) a descrição de um mesmo fato com algumas particularidades. Trata-se do episódio da mulher que lavou os pés de Jesus com suas próprias lágrimas e os massageou com um unguento raro e ao que tudo indica de excelente qualidade. Há divergências nos textos evangélicos quanto a quem seria essa mulher e ao lugar em que havia se dado, tendo João indicado que fora na casa de Lázaro e que o presente havia sido dado por Maria, uma de suas irmãs; mas Lucas indica que fora uma mulher do povo e que o evento se dera na casa de um certo Simão fariseu. Esta última descrição parece ser a mais generalizada e é a que o pintor barroco francês Pierre Subleyras (1699 – 1749) pintou no quadro que ilustra este texto. 

    O que importa nesta cena não é quem a protagonizou, mas o gesto em si, embora particularmente eu prefira a versão de Lucas que coloca uma mulher do povo como a heroína desta cena ao ter a coragem de entrar na casa de um fariseu sem ser chamada, aproximar-se de Jesus, ajoelhar-se aos seus pés, lavá-los com suas lágrimas ou mesmo com água e massageá-los com um unguento raro e caro, comprado com suas parcas economias. Chama atenção neste gesto, o anonimato da protagonista, sua colocação aos pés de Jesus, numa posição em que a grandeza do Mestre é destacada, sua gentileza em lhe oferecer conforto para os pés e o presente muito especial, objeto, inclusive, em todas as narrações evangélicas, do questionamento dos apóstolos ou de pelo menos um deles – Judas – sobre o valor do presente que se vendido daria para alimentar os pobres, Jesus, porém, contrapôs-se a isto dizendo que os pobres conosco sempre os teríamos, mas a Ele nem sempre. Ou seja, mesmo que o unguento fosse vendido o dinheiro não teria sido suficiente para reverter a situação dos pobres. E, além disso, perder-se-ia a oportunidade de estar com Ele. Em outras palavras, Jesus também aceita nossas doações de amor, aceita nosso convite para uma visita mais íntima em que possamos reverenciá-lo como fez a mulher se, claro, estivermos em sintonia com Ele, como ela estava. 

    Destaca-se especialmente neste episódio a relação entre alto e baixo, sintonia e distanciamento. Jesus, símbolo da iluminação está no alto, a mulher que nos representa está em baixo, em outra palavras para que alcancemos o Mestre precisamos sair da baixada em que nos encontramos para as cumeadas da iluminação. 

    Não é a toa que igrejas são construídas muitas vezes em lugares altos, que instituições religiosas têm púlpitos e que monumentos religiosos no mundo inteiro como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, a Igreja de Montmartre em Paris, o portal de Notre-Dame, na mesma cidade, a igreja de Santa Maria, em Florença na Itália, entre outras, têm escadaria enormes que exigem dos fiéis e dos turistas, muitas vezes incautos e sem se dar conta do significado simbólico da escadaria que sobem, esforço físico que nem de longe se aproxima do esforço espiritual para se estar aos pés de Jesus. Da mesma forma, recompensados pela visão primorosa quando alcançado o topo destas escadarias ou ultrapassado o portal, esta não se compara à visão tête-a-tête com Mestre como a que teve a mulher que lavou seus pés. 

    Contrapõe-se a tudo isto a igreja de São Francisco, em Assis, na Itália, que diferentemente de todas as igrejas da cidade é que fica no local mais baixo da colina, situada em sua base. Curiosamente construída neste lugar, dá-nos a ideia de que o pobrezinho de Assis estava muito mais do que aos pés do Mestre, estava ao seu lado, ombreando-O, mas a sua igreja construída na baixada é um carinho do Pai João para conosco, como se nos dissesse: Vem, o Mestre também está aqui. Assim, simples e desataviado! Numa demonstração de que para estar aos pés do Cristo precisamos, antes de tudo, estar à altura da sua sintonia tal como a mulher que rompeu preconceitos, desafiou normas de conduta e presenteou Jesus com o tinha de melhor: sua gentileza.

30 de Junho - Orson Peter Carrara

postado em 30 de jun de 2012 12:42 por Webmaster SEJA

    Sim, ele também é gente. Percebe-se, a certo ponto da vida, com sensações estranhas que não consegue entender, nem explicar. Normalmente sofre preconceitos e, quando é reconhecido como tal, torna-se alvo de bajulações e chega a ser endeusado pela ignorância dos que não o compreendem – com sérios riscos de vaidade que podem colocá-lo a perder-se em seus compromissos.
    Mas é gente como qualquer outra pessoa. Tem sangue nas veias, sente dor, precisa descansar, alimenta-se como qualquer ser humano. Também fica bravo e sente-se magoado, mas quando consciente de seus compromissos, é convidado a comportamento de humildade e de trabalho em favor do próximo.
Sim, pois que seu compromisso é para o com o bem geral, no atenuar das aflições humanas, como veículo ou instrumento de socorro às agonias e tormentos que rondam o ambiente da família e da sociedade em geral.
    Nem por isso, todavia, é um privilegiado. É um ser comum, mas trouxe consigo uma bagagem diferenciada, tendo em vista atender ao próprio compromisso antes firmado. Se o cumprir com idoneidade, sentirá as alegrias da consciência que cumpriu seu dever. Se explorar ou mal conduzir a capacidade que pode se apresentar em diferentes graus, sentirá o peso das consequências danosas que só podem provir da irresponsabilidade ou da omissão.
    Mas como a falta de conhecimento ainda o qualifica como se privilegiado fosse, sofre assédios e exigências descabidas, expondo-se à incompreensão inclusive no seio da própria família. Como independe de idade, sexo, religião, estágio social ou intelectual, seu uso e aplicação, todavia, sofre séria influência do aspecto moral, podendo tornar-se fonte de muitas bênçãos ou alegrias ou causa de sérios e graves desastres morais, com consequências danosas de longo alcance.
    O mais marcante ainda, e para surpresa de muitos, é que ele não é privilégio nem invenção, nem tampouco de domínio de qualquer religião. Trata-se de uma capacidade humana, extremamente variável na forma de apresentação e percepção daquele que a detém de maneira mais ou menos ostensiva, independente do nome que lhes queiramos dar.
    Na infância todos fomos por eles beneficiados, nos chamados benzimentos, e ao longo da vida, sempre tivemos uma ou outra notícia que vieram por meio desses personagens normais da vida humana, normalmente incompreendidos. No passado foram considerados feiticeiros, bruxos; atualmente são temas de filmes e novelas, tendo já disponível farto material literário que possibilite estudá-los amplamente para bem compreendê-los.
    Sim, referimo-nos aos chamados sensitivos, ou médiuns. Homens e mulheres comuns da sociedade humana que trouxeram consigo um compromisso de trabalho em favor da evolução, como instrumentos de socorro, instrução, orientação, cura física e moral, lúcidos portavozes da vida imortal ou veículos equivocados que, por não se disciplinarem ou desconhecerem a própria faculdade, podem tornar-se meios de perturbação a despreparados que igualmente desconhecem a questão.
    Por isso, nesta data de 30 de junho, comemorativa dos dez anos de retorno à Pátria verdadeira, do médium Chico Xavier – modelo de mediunidade a serviço do Cristo – nossa homenagem carinhosa de gratidão, àquele que incorporou no próprio comportamento os exemplos de autêntica humildade, amor ao próximo e plena consciência de seus deveres.
Orson Peter Carrara

Nossos próximos dez anos

postado em 2 de abr de 2012 13:01 por Webmaster SEJA

Texto de Denise Lino

A SEJA completa neste mês de abril 10 anos de fundação. Como se diz em jornalismo, esta é uma data redonda e como tal muito propícia a comemorações. De fato, temos muito a comemorar. Só para falar dos últimos três, desde que inauguramos a sede própria, dobramos todos os números. De cerca de 90 participantes nas reuniões de sábado, passamos para 250; de 40 nas quartas, passamos para 90; de cerca de 30 mães atendidas no DPS passamos para 140; de cerca de 60 evangelizandos entre crianças e adolescentes passamos para quase 200, considerados os três horários de funcionamento da tarefa; de um grupo de 15 sócio-fundadores e trabalhadores, passamos para uma equipe com quase 100, neste ano.

Evidentemente, esse crescimento não tem somente a ver com a SEJA, mas essencialmente com a pujança da mensagem do Espiritismo que, justamente no último lustro, ganhou ainda mais as ruas, as telas da TV e do cinema, a internet e mais textos foram publicados. Talvez a SEJA tenha, de alguma forma, sabido tirar partido desse crescimento nacional e tenha conseguido alocar mais gente num mesmo espaço.

Isto, porém, nos traz imensos desafios para os próximos dez anos. Dentre eles, destacaria a manutenção da atmosfera de família SEJA, que todos dizem perceber quando chegam à nossa casa. Começamos como um grupo de amigos do ideal espírita, e suas respectivas famílias, inspirados pela obra de Joanna de Ângelis, alguns eram amigos de longa data, outros mais recentes, logo, foi fácil, no começo, dar a tudo um ar familiar. O desafio, agora, é, com gente se acomodando em cada canto, não perder esse elo, essa vibração, esse bem-estar, não importa se quem está chegando está bem ou desconsolado. Importa é chegar e se sentir em casa.

Além desse desafio, eu diria que outro é manter chama do entusiasmo, aquela mesma que nos levou a, praticamente sem recursos, procurar um arquiteto de renomada reputação, propor que ele fizesse o projeto da SEJA e levar adiante, em nove meses, uma obra que em termos de pagamentos diretos custou R$ 160.000,00, fora as doações. Vi esse entusiasmo de frente, quando uma senhora do DPS me procurou, à época, e doou R$ 7,00. Era a contribuição dela para a compra do cimento, cujo saco custava o dobro de sua doação. Naquela hora, eu me vi vivendo várias histórias ao mesmo tempo - a do óbolo da viúva, a das mulheres piedosas que sustentavam a obra de Jesus, a dos trabalhadores da última hora, - e tendo a certeza de eram os espíritos que nos conduziam.

Outro importante desafio é a manutenção da fidelidade a Jesus, a Kardec e à obra de Joanna. Isto não significa dizer que não venhamos a estudar outros autores, faremos isto, sim, desde que as idéias estejam em consonância com as destes três, conforme preconiza o estatuto da instituição em seu artigo III, inciso primeiro.

Precisamos nos preparar para os próximos dez anos, a fim de que ao final deles possamos mais uma vez comemorar a vitória da fraternidade, do entusiasmo lúcido e da vivência evangélica, sem os quais a SEJA deixará de ser “uma casa abrigo para os fracos, porto de consolo para os sofredores, oásis dos desesperançados e oficina de trabalho para os otimistas”, conforme pensaram os seus fundadores.

Evitando Obsessões

postado em 5 de mar de 2012 07:15 por Webmaster SEJA

Não deixe de sonhar.
Mas enfrente as suas realidades no cotidiano.
Reduza suas queixas ao mínimo, quando não possa dominá-las de todo.
Fale tranqüilizando a quem ouve.
Deixe que os outros vivam a existência deles, tanto quanto você deseja viver a existência que Deus lhe deu.
Não descreia do poder do trabalho.
Nunca admita que o bem possa ser praticado sem dificuldade.
Cultive a perseverança, na direção do melhor, jamais a teimosia em pontos de vista.
Aceite suas desilusões com realismo, extraindo delas o valor da experiência, sem perder tempo com lamentações improdutivas. Convença-se de que você somente solucionará os seus problemas se não fugir deles.
Recorde que decepções, embaraços, desenganos e provações são marcos no caminho de todos e que, por isso mesmo, para evitar o próprio enfaixamento na obsessão o que importa não é o sofrimento que nos visita e sim a nossa reação pessoal diante dele.

(André Luiz, psicografia de Chico Xavier, Meditações Diárias. IDE, 2009)

Oração Diante da Palavra

postado em 3 de set de 2011 14:26 por Webmaster SEJA

Senhor,

Deste-me a palavra por semente de luz. Auxilia-me a cultivá-la.

Não me permitas envolvê-la na sombra que projeto. Ensina-me a falar para que se faça o melhor.

Ajuda-me a lembrar o que deve ser dito e a lavar da memória tudo aquilo que a tua bondade espera se lance no esquecimento.

Onde a irritação me procure, induze-me ao silêncio, e, onde lavre o incêndio da incompreensão ou do ódio, dá que eu pronuncie a frase calmante que possa apagar o fogo da ira.

Em qualquer conversação, inspira-me o conceito certo que se ajuste à edificação do bem, no momento exato, e faze-me vigilante para que o mal não me use, em louvor da perturbação.

Não em deixes emudecer, diante da verdade, mas conserva-me em tua prudência, a fim de que eu saiba dosar a verdade em amor, para que a compaixão e a esperança não esmoreçam, juntos de mim.

Traze-me o coração ao raciocínio, sincero sem aspereza, brando sem preguiça, fraterno sem exigência e deixa, Senhor, que minha palavra te obedeça a vontade, hoje e sempre.

Meimei
(Extraído do livro Meditações Diárias, pelos Espíritos Bezerra de Menezes e Meimei, psicografado por Chico Xavier, 1° edição, 2009)

Oração do Médium Fiel

postado em 16 de ago de 2011 08:22 por Webmaster SEJA

Senhor da vida!

Fazei de mim instrumento da vossa misericórdia, a fim de que eu possa contribuir em favor da sociedade na qual me movimento, oferecendo os recursos espirituais que estejam ao meu alcance.

Iluminai a minha consciência e guiai os meus sentimentos de forma que me possa transformar em ponte espiritual para que os irmãos desencarnados em sofrimento, por meu intermédio recebam os esclarecimentos necessários à sua libertação.

Concedei-me a benção da misericórdia e da compaixão, para que a sublime luz da caridade se esparza do meu amor, beneficiando os corações amargurados e os Espíritos que se encontram em desalinho, estorcegando nas traves invisíveis da revolta e do desespero.

Favorecei-me com o discernimento para melhor compreender e atender os compromissos que por mim se encontram firmados desde antes do berço, não me desviando, em momento algum dos deveres de elevação e de paz.

Amparai-me a fragilidade moral, fornecendo-me energias benéficas, portadoras de ternura e de carinho, a fim de poder superar as provas do caminho, tomado de agradecimento por tudo e sem resíduos ou mágoas de qualquer natureza.

Ajudai-me na difícil escalada evolutiva, em face das amarras vigorosas que me atam à retaguarda, de onde me ressumam os problemas não resolvidos.

Alçai-me aos páramos da imarcescível luz de que necessito, vencendo as sombras teimosas que me ameaçam ao avanço.

Auxiliai-me na docilidade, dando-me coragem para exercer a bondade, concedendo-me nobreza para melhor compreender, ensejando-me clareza mental na aceitação das ocorrências e favorecendo-me com a couraça da fé para não desanimar nem temer.

Propiciai-me sabedoria para distinguir o que devo fazer daquilo que não me é lícito realizar, de modo a evitar no futuro conflitos desnecessários ou arrependimento injustificável.

Vós, que sois a Vida, tende misericórdia do vosso fâmulo, que se encontra disposto a servir, mas teme equivocar-se, repetindo os calamitosos delitos do passado.

Facultas-me a oportunidade de trabalhar na mediunidade, porque, através do olvido de mim mesmo, dos interesses mesquinhos a que me apego, possa deixar-me diminuir as imposições do ego enfermo, para facultar a outros Espíritos a oportunidade de reabilitação e de reconstrução do mundo íntimo, crescendo no rumo da sociedade feliz do amanhã.

Honrado pelo tesouro da mediunidade, favorecei-me com a simplicidade interior, com a abnegação necessária e o entusiasmo sem alarde, na obra de amor a que dais continuidade através dos tempos.

Reconhecendo-me portador de debilidade no que se refere às forças morais para tão grave realização, qual é o ministério de amor e de luz, em vós busco os recursos da sustentação e as diretrizes de segurança para seguir com devotamento e humildade até o fim.

Senhor da Vida!

Ponho-me sob a vossa proteção, deixando que se faça em mim segundo a vossa vontade e não a minha própria.

Manoel Philomeno de Miranda

(Página psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, na noite de 16 de novembro de 2006, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia.)

Os Dias Graves do Senhor

postado em 8 de ago de 2011 07:56 por Webmaster SEJA

Estes são os dias, os dias graves do Senhor!

É necessário que as criaturas humanas abramo-nos ao Evangelho restaurado e nos permitamos ser instrumentos do Condutor de Vidas, para que possamos aplainar os caminhos que a Sua Misericórdia vem percorrer.

Espíritas! Assumistes um compromisso antes do berço.
Firmastes no Além um documento de responsabilidade para proclamar o Reino de Deus na Terra, no momento das grandes aflições.
Pedistes o testemunho e o sofrimento para respaldarem a qualidade da vossa tarefa. Não recalcitreis, pois, ante o espinho do testemunho.

Permanecei solidários para que não experimenteis solidão. 
Cantai um hino de louvor e de bem-aventuranças, para que as vossas não sejam as lágrimas
do remorso, ao contrário, sejam as da gratidão.
Não postergueis o momento da renovação interior.
Se colheis, por enquanto, os cardos e se sorveis a taça da amargura que preparastes antes,
semeai paz, alegria e amor para a colheita do futuro.

O Espiritismo é Jesus voltando de braços abertos e trazendo no Seu séquito os corações
afetuosos que vos anteciparam na viagem de volta ao Grande Lar, e que, numa canção de
júbilo, agradecem a Deus a honra de participarem da Era Nova do Espírito imortal.

Tornai-vos sábios na simplicidade, na cordura, na gentileza e ricos na compaixão.
O amor cobre a multidão dos pecados e a compaixão coroa o amor de ternura.

Começando por agora, aqui, o trabalho de lapidação do caráter para melhor, conseguireis,
como estamos tentando conseguir, a palma da vitória.

Nada que vos atemorize. Que mal podem fazer aqueles que caluniam, que mentem, que
perseguem, se tudo quanto fizerem perde o seu sentido no túmulo?

Jornaleiros da Imortalidade, avançai cantando Jesus para os ouvidos moucos do mundo,
e apresentando-O para os que se ocultaram nas furnas da loucura, das sensações e do
despautério.

Hoje é o momento sublime de construir e, em breve, o momento de ser feliz.

Muita paz, meus filhos. Com todo carinho, o servidor humílimo e paternal de sempre,
Bezerra

(Mensagem psicofônica recebida pelo médium Divaldo Pereira Franco, ao final da Conferência pública, realizada no Grupo Espírita André Luiz, no Rio de Janeiro, na noite de 26 de agosto de 2010.)

"Convocação"

postado em 18 de jul de 2011 20:17 por Webmaster SEJA

Bezerra de Menezes
...Nós fomos chamados por Jesus para tornar o mundo melhor.
Não foi por acaso que na hora última a voz do Divino Pastor chegou até nós.
Não nos encontramos no mundo assinalados apenas pelos delitos e os erros pretéritos, somos os Servos do Senhor em processo de aperfeiçoamento para melhor servi-lo.
Nem a jactância dos presunçosos, nem a subestima dos que preferem a acomodação.
Servir, meus filhos, com a instrumentalidade de que disponhamos é o nosso dever.
Observamos que a seara cresce, mas os trabalhadores não se multiplicam geometricamente como seria de desejar, porque estamos aferrados aos hábitos doentios, que no momento da evolução antropológica, serviram-nos de base para a transformação do instinto em emoção edificante.
A maneira mais segura de preservar os valores do Evangelho de Jesus em nós é através da vinculação mental com o Nosso Condutor.
Saiamos da acomodação justificada de maneira incorreta para a ação. Abandonemos as reações perturbadoras e aprendamos as ações edificantes.
Sempre dizemos que necessitamos de Jesus, sem cuja Misericórdia estaríamos como náufragos perdidos na grande travessia da evolução, mas tenhamos em mente que Jesus necessita de nós, porque enquanto falamos a Ele pela oração Ele nos responde pela inspiração.
Ele age pelos nossos sentimentos através das nossas mãos. Sejam as mãos que ajudam, abençoadas em grau mais expressivo do que os lábios que murmuram preces contemplativas.
A nossa postura no mundo neste momento é de misericórdia.
Que nos importem os comentários deprimentes a nosso respeito, se valorizamos o mundo, respeitando os seus cânones e paradigmas? Não nos preocupemos com que o mundo pensa e fala de nós através de outros corações.
No belo ensinamento de Jesus na casa de Lázaro, enquanto Maria o ouve e Marta se afadiga temos uma lição extraordinária – não é necessário ficar numa contemplação de natureza egoística, mas é necessário aprender para poder servir.
A atitude de Marta é ansiosa, era a preocupação com o exterior. A atitude de Maria era iluminativa, a que parte dos tesouros sublimes da coragem e do amor, através da sabedoria, para poder melhor servir.
O serviço é o nosso campo de iluminação.
Nós outros, os companheiros da Vida Espiritual, acompanhamos as lágrimas que são vertidas pelos sentimentos de todos aqueles que nos suplicam ajuda e, interferimos com a nossa pequenez, junto ao Mestre Incomparável para que Ele leve ao Pai as nossas necessidades, mas bendigamos a dor sem qualquer laivo masoquista; agradeçamos a dor que nos desperta para a Verdade, e que nos dilui as ilusões; que faz naufragar as aventuras de consequências graves antes que aconteçam.
Estamos portanto convocados para a construção da Sociedade Nova, na qual o bem pairará soberano, como já ocorre, acima de todas e quaisquer vicissitudes.
Filhos da Alma, tende bom ânimo. Não recalcitreis contra o aguilhão nem vos permitais a deserção lamentável ou a parada perturbadora na escalada difícil da sublimação.
Jesus espera-nos, avancemos! Suplicando a Ele, o Amigo Incomparável de todos nós, envolvemos os afetuosos corações em dúlcidas vibrações de paz.

Na condição de servidor humílimo e paternal de sempre,
Bezerra
 ​
Muita paz!

(Mensagem psicofônica recebida pelo médium Divaldo Pereira Franco, ao final da conferência pública, realizada no Grupo Espírita André Luiz, no Rio de Janeiro, na noite de 14 de julho de 2011).

1-10 of 19